Comunicado sobre as novas ameaças turcas sob Rojava e Shengal

A Plataforma de Solidariedade com os Povos do Curdistão escreveu esta semana um comunicado sobre a situação actual entre o estado Turco e o povo Curdo, denunciando as agressões e ameaças deste estado e uma possível invasão de territórios Curdos.

A Rádio Gabriela publica aqui a leitura desse comunicado.

Comunicado:

Olhando para trás para 2020, que começou pouco depois da mais recente invasão de Rojava pelo Estado fascista Turco e da sua subsequente ocupação das regiões de Serekanîyê e Girê spî, a única coisa que se pode reportar é um número incessável de agressões por parte deste mesmo Estado ao movimento de libertação curda, dentro e fora das suas fronteiras e das regiões por si ocupadas.

Vimos ao longo do ano um escalar brutal de violência e crimes contra a humanidade nas áreas ocupadas. Assistimos em horror à bandeira do infame Estado Islâmico erguer-se mais uma vez nestas regiões onde o Estado Turco promove o jihadismo e o genocídio.

Ao longo do verão, assistimos a uma nova invasão e fortes ataques ao coração do movimento nas montanhas livres de Heftanînê, no Curdistão do Sul (norte do Iraque), assim como continuamos a assistir à brutal guerra genocida nas recentes áreas ocupadas em Rojava pelo Estado Turco e os seus mercenários jihadistas. Também foram perpetuados ataques indiscriminados que tinham como alvo a população civil e com o objetivo de semear o medo entre estas, quer no Curdistão do Norte (sudeste da Turquia), quer em Rojava.

No entanto, foi-nos este ano provado mais uma vez o enorme espírito de resistência do povo Curdo e de todos os povos que se confrontam com o Estado fascista Turco. A operação levada a cabo pelo Estado Turco nas montanhas de Heftanînê foi um enorme fracasso e um
importante momento de resistência por parte do movimento de libertação curdo, em que as guerrilhas das mulheres mais uma vez mostram que são a linha da frente desta resistência e a força que encaminha este movimento a seguir em frente.

Os ataques nas regiões de Ain Issa, de Shehba, Afrin, Shengal ou tantas outras regiões do Curdistão provaram-se fúteis contra a resistência heroica e o sacrifício de tantos mártires, que são e serão eternos e nunca quebrarão perante estas agressões.

Quando olhamos de 2020 para 2021, temos razões para recear que este padrão de agressões e promoção do jihadismo e genocídio contra o povo curdo apenas continue.

Nas últimas semanas, o governo de Ancara reuniu-se com as autoridades do governo
autónomo do Curdistão Iraquiano, e debateram uma invasão à região de Shengal, a região
autónoma do povo Yazidi que em 2014 sofreu um enorme genocídio às mãos do Estado
Islâmico. Para além da ameaça de uma invasão a esta região no Norte do Iraque, a região de Derîk no Nordeste da Síria (na zona fronteiriça entre Turquia, Síria e Iraque) também está sob ameaça.

Estas novas ameaças do ditador Erdogan, não são ameaças vazias. Neste momento e nos
últimos dias, assistiu-se a uma crescente movimentação de tropas do outro lado da fronteira e a atividade de drones e dos serviços secretos Turcos também está a aumentar. Por isto tudo é certo de que uma nova invasão quer a Derîk ou a Shengal será iminente.

Apesar disto tudo, preparações também estão a ser feitas do nosso lado das barricadas. Toda a sociedade está-se a preparar para mais um momento histórico de resistência às forças fascistas Turcas. E a moral está elevado.

Agora mais do que nunca é necessário compreender que o problema do estado Turco e a luta do povo Curdo não são coisas regionais e que nada nos dizem respeito. O problema do
fascismo Turco é um problema internacional, pois todos os estados da modernidade capitalista estão envolvidos e são cúmplices das suas ações contra os povos livres do Médio Oriente. E a luta curda não é apenas uma Luta por um Curdistão livre, mas uma Luta por um mundo livre. Não é mais uma questão de apenas libertar os curdos, mas de libertar a Humanidade.

Por isto tudo, como Plataforma de Solidariedade com os Povos do Curdistão, como grupo
Internacionalista e feminista, apelamos a todos e todas que não fiquemos mais uma vez
simplesmente a assistir a mais uma operação genocida por parte de um aliado de Portugal.
Apesar dos tempos bastante complicados que vivemos devido à pandemia do covid-19, a
máquina estatal do capitalismo não para, as guerras não pararam, os femicídios não pararam, a destruição ambiental não parou, o genocídio não parou.

Apelamos, portanto, a todos os indivíduos e coletivos que mostrem a sua solidariedade para com os povos que enfrentam todos os dias o Estado Turco e por isso se encontram na linha da frente pela Liberdade da humanidade.

Como Plataforma de Solidariedade com os Povos do Curdistão apoiamos a luta dos povos da região e sentimo-nos profundamente inspirados e inspiradas pela alternativa construída nos territórios do Curdistão, e por isso, juntamente com os povos do Curdistão a nossa resistência será eterna.

Juntxs esmagaremos o fascismo Turco!
Jîn, Jiyan, Azadî!
Serkeftin!

Plataforma de Solidariedade com os Povos do Curdistão

#RiseUp4Rojava-Portugal

Twitter: @riseup4rojavapt
Instagram: @RiseUp4Rojava_Portugal
Facebook: Plataforma de Solidariedade com os Povos do Curdistão
Email: portugal4rojava@gmail.com

Publicado por Rádio Gabriela

powered by Sirigaita Crew

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: